terça-feira, 26 de abril de 2011

O Rei das Pistas.

Oi pessoal, tudo bem? Como foram de feriadão? Muito descanso? É sempre bom…

Semana passada não teve “Coluna do Alan”, tive uma prova na quarta-feira e tal, não consegui escrever a tempo…

Mas… essa semana voltamos com nosso compromisso tradicional! E o assunto dele será relacionado com um evento que aconteceu no dia primeiro de maio de alguns anos atrás… mas não estou falando do Dia do Trabalhador, este post será uma homenagem a Ayrton Senna.

 

Ídolo, referência e destaque… após uma carreira muito vitoriosa que foi encerrada fatalmente, Ayrton Senna passou a ser visto como uma espécie de “Santo” no Brasil. Muitas pessoas deixaram de lado as situações controversas, as brigas e alguns pontos negativos da personalidade de Senna devido ao fato de como tudo aconteceu… mas uma coisa é mais do que certa: Ayrton foi um gênio.

Em primeiro de maio de 1994, no Grande Prêmio de San Marino, Senna sofreu um grave acidente e veio a falecer. Foi o fim prematuro de uma carreira vitoriosa… Esta foi a terceira corrida daquele ano e apesar de Ayrton ter ido mau nas duas primeiras corridas devido a acidentes, ele havia sido pole position(melhor piloto na classificação) em duas das três, inclusive no circuito no qual ele encerrou a carreira. Isto mostra que o trajeto de Senna ainda poderia ter sido muito vitorioso.

Ficheiro:San Marino 1994 Tamburello.svg

Campeão mundial nos anos de 1988, 1990 e 1991, ele foi também vice-campeão nos anos de 1898 e 1993 (ano que precedeu sua morte). Fez parte de quatro equipes ao longo de seus anos como piloto profissional: começou em 1984 na equipe Toleman e terminou o campeonato em 9° lugar no geral(um número interessante para sua estreia).

No ano seguinte, foi para a Lotus onde ficou até 1987, obtendo 2 quartos lugares e um terceiro na colocação geral do campeonato mundial. 1988 foi o ano em que se mudou para a McLaren e obteve seu primeiro triunfo no campeonato mundial, ficou até 1993 e foi campeão mais duas vezes. Por fim, mudou-se para a Williams em 1994 e foi quando encerrou de maneira trágica sua ótima trajetória. Chegou a declarar que sonhava em encerrar a carreira na Ferrari, o que obviamente não foi possível.

 

Reconhecidamente como um dos melhores pilotos na chuva, fora das pistas Senna teve alguns pontos negativos como por exemplo, ter dado um soco no piloto Eddie Irvine após um acidente em 1993 e o fato de ter negado um autógrafo a Felipe Massa quando ele tinha oito anos, como informa o próprio piloto: "Senna me negou um autógrafo e passei a torcer por Piquet". Apesar desses acontecimentos que são alguns, Senna é um expoente nacional e sem dúvida o maior ídolo do país nesse esporte (depois do Rubinho).

Então termino esta homenagem dizendo que apesar de não concordar com toda esta canonização ao redor dele, tenho vagas lembranças de suas corridas (até porque eu tinha pouquíssima idade) e reconheço que ele foi importantíssimo no esporte brasileiro. Tenho muita vontade de ver o filme dele, que graças ao eficaz cinema blumenauense não foi possível assistir na telona, e provavelmente esta semana devem aparecer muitas matérias sobre ele.

Termino o post desejando um feliz dia do trabalhador a todos (apesar de não ser feriado) e sugerindo que assistam ao filme de Ayrton Senna (mesmo não tendo assistido, vi o trailer que foi ótimo).

 

Uma Feliz Páscoa atrasada e abraços,

 

Alan.

6 comentários:

  1. Saiu um filme pra quem não viu. :)

    ResponderExcluir
  2. Alan, esse foi o único cara, tirando meu pai q tive o prazer de admirar.
    Sua garra e determinação sempre me encantaram. Lembro de alguns domingos assistindo as corridas e torcendo mto por ele. Chorei com algumas de suas vitórias e principalmente com sua morte.
    Pode ser clichê tudo q disse, mas é sempre o q sinto qdo lembro dele.

    Vlw pela lembrança!

    ResponderExcluir
  3. Sena é Sena sempre...Tem postagem nova, se puder de uma passadinha por lá...bjs
    vidrinhosdagi.blogspot.com
    @vidrinhosdagi

    ResponderExcluir
  4. Assistia F1 só por causa dele...Fiquei muito triste com sua morte. Foi uma pessoa incrível, maravilhosa, coração repleto de bondade.
    Nunca mais me interessei por F1.

    Que Bom que estão de volta!!! Senti falta =))))

    ResponderExcluir
  5. Realmente, o cara era unânime, um infeliz exemplo de talento abreviado... uma coisa que achei muito legal na hora de pesquisar fotos pro post, é que na maioria delas ele sempre parecia muito concentrado, completamente isolado do mundo externo, só focalizando provavelmente o trajeto, o carro e tudo mais...

    Outro detalhezinho... Ayrton Senna era canhoto... já diz tudo! hahahahaha

    Obrigado a todos pelos comentários...

    Abraços!

    ResponderExcluir